Friday, 16 October 2015

#41 BALI TRAVEL DIARY - PART I . UBUD



I can’t believe it’s already been 2 months since I’ve been to Bali on vacations. I’m sorry I haven’t been updating the blog as much as I should and wanted to. Life has kind of gotten in the way and to be honest my inspiration levels have been low and my laziness on the other side has been off the charts, but I have so much to tell and share with you that I have to start getting my head and heart into this page once again!
Between my trip to Bali and Gili Trawangan, my trip to Cinque Terre and Florence, my upcoming weekend in Copenhagen and, of course, getting up to speed with Fall’s best trends and Spring Summer hottest shows and so much more, I have a handful of posts to share with you these next few weeks.
To breathe some life back to this blog I’ll start where I left of, which was on my Summer vacations. 
Oh Summer come back to me please!
Bali is definitely a special place, rich in culture, different experiences, flavours and amazing people. I think it was the place it pained me the most to leave because there was still so much to see and live there, I felt like I was only able to get a little taste of it, and the “taste” I got was so good that I wanted more.

// Não posso acreditar que já passaram 2 meses desde que estive em Bali de férias. Desculpem não andar a actualizar o blog tanto quanto deveria ou queria. Não tenho tido o tempo e a inspiração necessária, para ser honesta. Mas tenho tanto para partilhar convosco que tenho que voltar a entregar-me a esta página de corpo e alma!
Entre a minha viagem a Bali e Gili T, a viagem a Cinque Terre e Florença, o meu fim-de-semana a Copenhaga no final deste mês e, claro, não esquecer as melhores tendências para este Outono e os desfiles de Primavera Verão e muito mais, tenho muitos posts cheios de novidades para partilhar convosco estas próximas semana.
Para reanimar este blog vou começar onde parei, basicamente, que é nas minhas férias de Verão. 
Oh tempo volta para trás e leva-me de volta!
Bali é sem dúvida um sítio especial, rico em cultura, experiências únicas, sabores distintos e pessoas encantadoras. Acho que foi o sítio que mais me custou despedir, havia ainda tanto para ver e viver, senti que apenas consegui sentir um “gostinho” por esta ilha paradisíaca, e esse “gostinho” foi tão bom que eu queria mais e mais.



Our Bali “Eat, pray, love” experience (there wasn’t really much praying involved to be honest but let’s pretend for just a minute) started in Ubud, a day later than it was supposed, after a delayed flight and a whole day spent at Singapore’s airport, which basically turned our previous plans for a loop. Instead of having 3 days and 2 nights to get a better feel of “Bali’s heart”, Ubud, we only got 2 days and 1 night but we certainly tried to make the best of it.
We arrived in the late morning in Ubud, after a night of no sleep at the airport and plane, a 1h30 drive from the airport and bargaining until exhaustion the taxi price, of course (which ended up to be half of what they were asking, 300.000RP, almost 20€, instead of 600.000RP) – Welcome to Bali, a paradise island where every price is negotiable!
After dropping our bags in our lovely hotel  - Warji House 2, we had a breakfast of champions and managed to book a tour with our very own driver/photographer, who not only drove us around for 2 days and showed us some great places but also took, very patiently I have to add, our group photos and even gave some posing ideas! Ahaha

On the first day we started our tour at Bali Pulina where we tried some coffees and teas with a beautiful view over the Tegalalang rice terraces. There, we also tried the famous kopi luwak coffee aka poop coffee. Yes, we actually drank poop, and what’s worse, we paid for it! But really if you google luwak coffee you’ll see it’s the most expensive coffee in the world and it’s made from the coffee beans which have been digested by an Indonesian cat-like animal and it’s actually good. It’s pretty much like our coffee, more or less. I know it sounds weird and even gross,  but it was really a cool experience and one that I strongly recommend, for the coffee and tea tasting but mostly the stunning views.

// A nossa experiência “Eat, pray, love” em Bali (não houve assim muita reza envolvida na verdade, a não ser na altura de rezar para ficar lá e não voltar logo para o Porto) começou em Ubud, um dia mais tarde do que era suposto, depois de um voo adiado e um dia inteiro passado no aeroporto de Singapura, o que virou os nossos planos originais do avesso. Em vez de 3 dias e 2 noites a sentir e viver o “coração de Bali”, Ubud, restaram-nos apenas 2 dias e uma noite que tentamos aproveitar ao máximo.
Chegamos numa manhã já tardia a Ubud, depois de uma noite sem dormir entre aeroporto e avião, depois de 1h30 de viagem do aeroporto e de negociar até à exaustão o preço do táxi, claro (que acabou por ser metade do que pediam inicialmente, 300.000RP, que são quase 20€, em vez de 600.000RP) – Bem vindas a Bali, uma ilha paradisíaca em que todos os preços são negociáveis!
Depois de largarmos as nossas mochilas no nosso hotel  encantador – Warji House 2, tomamos um merecido pequeno almoço digno de campeãs e conseguimos desencantar uma visita com o nosso próprio motorista/fotógrafo, que não só nos andou a “passear” durante 2 dias e nos mostrou sítios incríveis mas também tirou, com toda a paciência devo acrescentar, as nossas fotos de grupo e até deu algumas ideias de poses a experimentar, verdadeiro director artístico! Ahahah

O nosso primeiro dia começou com uma visita ao Bali Pulina onde provamos alguns cafés e chás com uma vista maravilhosa sobre os terraços de arroz de Tegalalang. Aí, também provamos o famoso café kopi luwak aka poop coffee (não vou traduzir desculpem :P). Sim, é verdade, nós bebemos “poop” e, o que é pior, pagamos por ele! Mas agora a sério, se pesquisarem luwak coffe vão ver que é o café mais caro do mundo e que é feito de grãos de café que foram digeridos por um animalzinho “indoneca” que é uma espécie de gato, e devo dizer que até é bem saboroso. É basicamente como o café que conhecemos, se não me tivessem dito nunca diria do que era feito. Sei que parece estranho e até nojento, mas foi uma experiência bem engraçada e uma que eu recomendo vivamente, pela degustação de cafés e chás mas, especialmente, pela vista de cortar a respiração.


Tirta Empul Holy Water Temple was our next stop, one of the most beautiful hindu temples for me. It’s amazing seeing Balinese Hindus go there for their purifying rituals, praying and bathing on the holy water.
After that our driver literally took us to the middle of nowhere to a really nice restaurant – Pangkon Bali, on the rice fields with tables scattered around on platforms with shade and, there, we had our first taste of Indonesian food which was overall really good and also really cheap.

// Tirta Empul ou Holy Water Temple foi a nossa próxima paragem, um dos templos hindus mais bonitos, na minha opinião. É incrível ver os locais hindus a fazerem os seus rituais de purificação, a rezar e a mergulharem nas águas que eles acreditam ser sagradas.
Depois de também nós nos sentirmos mais purificadas só de estarmos naquele local sagrado o nosso motorista levou-nos, literalmente, para o meio do nada (e não foi para nos raptar ou tirar uns órgãos como a minha mãe iria pensar se eu lhe estivesse a dizer isto), a um restaurante muito típico – Pangkon Bali, mesmo no meio dos terraços de arroz com mesas em cima de plataformas com sombra espalhadas pelo terreno e, foi aí, que tivemos o nosso primeiro contacto com a comida da Indonésia, que foi bastante boa tenho que dizer, apesar de não fazer ideia de algumas coisas que comi, e baratíssima.


Two more temples were on our schedule for the day, Gunung Kawi and Goa Gajah.
Gunung Kawi or Rocky Temple is actually one of Bali’s oldest and largest monuments, with memorials carved on the rocks and surrounded by beautiful rice fields - majestic. One word of advice, be ready to climb a lot of stares when leaving. Going down is easy, up I have to say it is not! But it’s totally worth the effort.
Goa Gajah, an elephant cave with no actual elephants,  was our last stop of the day and I’m not sure it was because we were already so tired but it was the only temple that kind of left me unimpressed.
For dinner, our guide recommended one of Ubud’s best restaurants, Ibu Rai, and we we’re happy to follow his suggestion. For 158000RP which is 10€ more or less each, we dined in a rather beautiful restaurant where the staff was very welcoming and nice, had starters, 2 mojitos each, main course of Indonesian food that was delicious and dessert.
With happy stomachs we headed to the hotel to get some much needed sleep and rest and get ready for another day of visits.

// Mais dois templos estavam na agenda do dia, Gunung Kawi e Goa Gajah.
Gunung Kawi ou Rocky Temple é um dos maiores e mais antigos monumentos de Bali, com memoriais esculpidos nas rochas e rodeado de lindíssimos campos de arroz – uma palavra, imponente. Um conselho, estejam preparados para subir bastantes escadas quando estiverem a deixar este sítio. Descer é fácil, subir nem por isso! Mas vale o esforço, definitivamente.
Goa Gajah, uma gruta de elefantes sem elefantes, foi a nossa última paragem do dia e não sei se foi de já estarmos exaustas mas foi o único templo/sítio que me deixou, não desiludida, mas não impressionada.
Para o jantar, o nosso guia recomendou-nos um dos melhores restaurantes de Ubud, Ibu Rai, e nós seguimos, contentes, a sugestão. Por 158000RP, aproximadamente 10€, jantamos num restaurant com uma decoração linda e onde o staff era bastante acolhedor e simpático, pedimos entradas, 2 mojitos cada uma, prato principal de comida típica do loca que era deliciosa e ainda tivemos espaço para sobremesa.
Com as nossas barrigas mais que satisfeitas voltamos ao hotel para uma noite de sono e descanso que era bem precisa. 


The next morning started early with our driver taking us to the famous “Eat, pray, love” healer who told Julia Roberts she would return to Bali, I was really excited to get my palm or aura or something like that read by the experienced and spiritual old man, unfortunately that didn’t happen. The healer was sick or dead (hope not but honestly I’m still not sure) and only his son would be able to “read us” but that was not an option, either it was the real deal or nothing at all. So we left with our palms unread and no clue to what the future has instore for us.
Well, the near future was a morning of shopping at Sukawati Market where we got some sweet deals after bargaining a lot, of course.  The market was really not busy so it was easy to see everything and buy some souvenirs and even some clothes, bags and cool bracelets to bring home.
After that and with the sun already shining strong we went to a waterfall nearby, the Tegenungan Waterfall. Although it was not GitGit waterfalls, which was our original plan but was a 2 hour drive from Ubud, it was a rather beautiful place, with a rainbow hitting the water making it even more special.

// A manhã seguinte começou bem cedinho com o nosso guia a levar-nos ao famoso healer do filme “Eat, Pray, Love” que disse à Julia Roberts que ela voltaria a Bali, estava bastante entusiasmada para aquele velhinho espiritual ler a minha palma, ou aura, ou algo do género, mas infelizmente isso não aconteceu. O healer estava aparentemente doente ou já tinha morrido (espero que não mas continuo não muito convencida com a doença) e apenas o filho poderia “ler-nos” , o que não era uma opção, ou era o verdadeiro ou então não valia a pena. Por isso, saímos com as nossas palmas por ler e sem nenhuma ideia do que o futuro tinha reservado para nós.
Bem, o futuro imediato foi uma manhã de compras no marcado de Sukawati onde conseguimos óptimos negócios depois de “regatear” até mais não, claro. O mercado era bastante calmo por isso conseguimos ver tudo o que queríamos e comprar alguns souvenirs  e mesmo alguns tops, calções, vestidos, carteiras e pulseiras para trazer de volta connosco.
Depois de abrirmos os cordões à bolsa no mercado e com o sol já a brilhar alto e quente, fomos a uma cascata ali perto, a Tegenungan Waterfall. Embora não fosse as GIt Git Waterfalls, que eram o nosso plano original mas ficavam a 2h de viagem de Ubud, este lugar era lindo, com um arco íris sobre a água tornando-o ainda mais especial.



We spent the early afternoon there, bathing and enjoying the sun and after a while we got back to Ubud still in time to see Ubud’s market and do some more shopping and stroll the busy streets of this amazing place, seeing the quirky and beautiful little stores there, eating one of the best ice-creams EVER at Secret Gelatos and dining at a new place in town called The Legend, definitely another restaurant that is worth the visit.
Our time in Ubud was, unfortunately, over but Uluwatu and its amazing beaches were already waiting for us.

// Passamos o ínicio da tarde ali, a mergulhar nas águas geladas da cascata e a aproveitar todos os raios de sol e passado um pouco voltamos para Ubud, ainda a tempo de visitar o mercado de Ubud e fazer mais umas compras, passear nas ruas movimentadas daquele lugar encantador, entrar nas pequenas lojas, comer um dos melhores gelados de SEMPRE no Secret Gelatos e jantar num restaurante que estava aberto há pouco tempo chamado The Legend, sem dúvida outro restaurante que merece uma visita.
O nosso tempo em Ubud estava, infelizmente, encerrado mas Uluwatu e as suas praias maravilhosas estavam, já, à nossa espera.


More to come about my trip to Bali and the best beaches I went to on the next post, which I promise won’t take a month to come. ;)
Thanks for your visit and I hope you keep coming back for more!

// Mais está por vir sobre a minha viagem a Bali e as melhores praias que visitei no próximo post, que prometo não irá demorar novamente um mês a chegar. ;)
Obrigada por visitarem e espero que continuem a voltar para mais novidades!

Lau



SHARE:

5 comments

  1. Lindissímas fotos. Gostei muito do post, vou já anotar as dicas pois houve locais/restaurantes que falaste que não visitei na minha ida.
    Adorei Bali, foi uma das duas viagens que gostei mais até hoje. Para mim é o sítio perfeito pois conjuga tudo o que gosto: praia/natureza/cultura/comida. Simplesmente fabuloso :-)

    o meu blog: uniquemacau.blogspot.com

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada Catarina! :)
      Foi mesmo essa a sensaçãp que tive, Bali tem um pouco de tudo e é isso que torna um sítio tão especial! :)

      Delete

© L'Scrapbook. All rights reserved.
MINIMALIST BLOG DESIGNS BY pipdig